quarta, 27 de novembro de 2019 - 18:56h - 988
Servidores são treinados para atendimento a lésbicas, bissexuais e transexuais
Capacitação faz parte da campanha ‘16 Dias de Ativismo’, e busca conscientizar sobre a necessidade do atendimento igualitário.
Por: Henrique Borges .Colaboradores: Alice Valena
Foto: José Baia/Secom
Encontro aconteceu no auditório da Secretaria de Estado de Inclusão e Mobilização Social (Sims)

Buscando um atendimento de excelência a lésbicas, bissexuais e transexuais, e aproveitando os “16 Dias de Ativismo”, a Secretaria Extraordinária de Política para Mulheres (Sepm) ofertou a servidores do próprio órgão e da Rede de Atendimento à Mulher (RAM) uma capacitação reforçando a necessidade da prestação do serviço igualitário a todos os públicos.

O evento aconteceu nesta quarta-feira, 27, no auditório da Secretaria de Estado de Inclusão e Mobilização Social (Sims), e integra a campanha “16 Dias de Ativismo - juntos pelo fim da violência contra as mulheres", que iniciou no dia 19 de novembro, e segue até 10 de dezembro, com um vasto cronograma por vários municípios do Amapá.

A secretária extraordinária de Política para Mulheres, Renata Apóstolo, falou que já existe a demanda desse segmento LBT (Lésbicas, Bissexuais e Transexuais) na rede de atendimento.

“O servidor que atende nos centros tem que atender com a mesma excelência o público LBT. Temos demanda desse público, porém, muitas ainda evitam buscar ajuda pela falta da informação”, disse.

A capacitação reforçou as boas práticas no atendimento e esclareceu a forma como o público LBT deve ser tratado, quebrando paradigmas e o preconceito que ainda existe na sociedade.

Para o servidor público da Sepm Adrielson Albino, aproximar os servidores homens do debate é necessário. “Não devemos apenas respeitar, mas, sim, fazer bem mais do que isso. Nem todo homem possui ética para realizar o atendimento com esse público, por isso, a importância dessa capacitação”, ressaltou.

A delegada Sandra Dantas, titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DCCM), também participou do evento e reforçou a disposição da delegacia para o acolhimento de vítimas de violência.

“A delegacia das mulheres também está atuando nesse atendimento de excelência para o público LBT. A ordem é para acolhimento das vítimas”, afirmou.

O professor da Universidade Federal do Amapá (Unifap) Antônio Sardinha, especializado em cultura e políticas públicas, foi o convidado da Sepm para a discussão. Ele falou sobre as atuais políticas relacionadas ao segmento LBT.

A programação de quinta-feira, 28, será em Ferreira Gomes, com apoio da prefeitura, para atendimento psicossocial e saúde da mulher na unidade móvel da Sepm. Na ocasião, haverá a Marcha das Helenas.

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

José Baia

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá