terça, 27 de março de 2018 - 21:20h - 958
Mais de 200 famílias vivem a expectativa da casa própria no Macapaba II
Procedimentos de vistoria, assinatura de contratos e termos de doação, e a entrega de chaves devem ocorrer ainda na primeira quinzena do mês de abril.
Por: Nathacha Dantas
Foto: José Baía / Secom
Railane não escondeu a emoção em saber qual apartamento vai ocupar e a ansiedade pela proximidade de receber a casa própria

Em outubro de 2013, Maria de Nazaré da Silva, de 47 anos, perdeu a casa e tudo o que tinha no incêndio que destruiu centenas de imóveis no bairro Perpétuo Socorro, na Zona Leste de Macapá. Quase cinco anos depois, a dona de casa vive a expectativa de iniciar uma nova etapa na vida, desta vez, em moradia própria, no Conjunto Habitacional Macapaba II. Nesta terça-feira, 27, Maria de Nazaré soube, por meio de sorteio, em qual apartamento vai morar.

O sorteio foi realizado pela Caixa Econômica Federal, agente financiador do Programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal, e definiu onde as famílias (de demanda dirigida) vão morar.

A dona de casa Maria de Nazaré, que tem uma filha de 24 anos com deficiência, foi a primeira a ser sorteada e está ansiosa pela chegada do momento de ocupar o imóvel. “Só o fato de poder ter um lugar digno para cuidar da minha filha, é a minha maior alegria. Apesar das lutas diárias e do trauma de ter perdido minha primeira casa e meus poucos pertences, hoje saio daqui com a certeza que irei recomeçar minha vida sem pagar nada mais por isso”, comemorou.

A gratuidade às vítimas do incêndio foi assegurada pelo Ministério das Cidades, a pedido do Governo do Amapá. Além de representantes da Caixa e do Governo do Amapá, 10 membros de cada segmento dos selecionados aptos ao procedimento, como pessoas com deficiência, idosos e de áreas de sinistro, acompanharam o sorteio que serve para definir a ocupação de cada beneficiário dentro do conjunto habitacional.

Outra contemplada foi Railane da Silva, de 27 anos, que não pôde conter a emoção quando seu nome foi sorteado. Em um forte e longo abraço na pequena Poliana Meury, de 7 anos, a autônoma compartilhou com a filha um misto de sorrisos e lágrimas que expressaram perfeitamente a emoção do momento.

“Morei de aluguel minha vida toda, mas nunca tive um lar para chamar de meu. Quando eu e meu marido ficamos desempregados o jeito foi ir morar em um ‘vãozinho’ no Canal do Jandiá por dois anos, depois tive que sair da área alagada para me abrigar na casa da sogra. Mas hoje, finalmente, estou realizada”, descreveu.

André Silva dos Santos, de 31 anos, também morava no Canal do Jandiá e atualmente está desempregado. Ele só conseguiu garantir um teto à mulher e ao filho com a ajuda do aluguel social, mas as outras despesas, como alimentação, água e luz, sempre ficavam comprometidas. Com o financiamento do apartamento, a família poderá ter mais qualidade de vida, de R$ 300 reais gastos mensalmente com aluguel, a taxa será reduzida para R$ 93 reais, equivalente a 10% do salário da esposa de André, que, temporariamente, assumiu o papel de chefe da família que enfrenta uma situação financeira delicada.

Além das vítimas do incêndio no Perpétuo Socorro e de famílias que moraram sobre o Canal do Jandiá, participaram do sorteio pessoas que viviam na área do “Zeca Diabo”, no bairro das Pedrinhas e no bairro Ipê, amos em Macapá.

A secretária de Estado da Inclusão e Mobilização Social do Estado (Sims), Nazaré Farias, frisou que as datas para os procedimentos de vistoria, assinaturas de contratos e termos de doação, e entrega das chaves, ocorrerão em um só momento. A previsão é que, ainda na primeira quinzena do mês de abril, essas etapas sejam concluídas. Os beneficiários devem ficar atentos aos chamados da Sims e Caixa Econômica.

A lista com os nomes dos sorteados, com os endereços respectivos das novas moradias, está disponível no mural da Sims, e no portal do governo do Estado (www.amapa.gov.br).

O sorteio

O sorteio desta terça-feira definiu os proprietários de 228 unidades habitacionais do Macapaba II. Inicialmente eram 231 apartamentos, porém, desse total, três beneficiários já foram sorteados na primeira etapa, contudo, foi necessário refazer o dossiê para alterar o estado civil, uma vez, que os moradores passaram pelo processo de divórcio. Só que, no momento, os três apartamentos sorteados foram ocupados irregularmente, e os beneficiários terão que aguardar a reintegração de posse do imóvel pela Justiça Federal, para poder avançar para as próximas etapas.

De acordo com a gerente de filial de habitação da Caixa Econômica Federal no Amapá, Silmar Castilho, o procedimento foi feito pelo aplicativo do Programa Minha Casa, Minha Vida. O mecanismo foi desenvolvido especialmente para distribuir as unidades habitacionais do programa em todo o país.

A programação da ferramenta obedece à ordem de prioridade estabelecida nas regras do Minha Casa, Minha Vida. Primeiramente, foram sorteados casas e apartamentos no térreo para o grupo das pessoas com deficiência, 10 da lista de 228. Em seguida, o grupo dos idosos, com 18 pessoas. Depois, a distribuição eletrônica ocorreu para o restante dos contemplados. “O financiamento dos imóveis é calculado com base no valor da renda que cada beneficiário. Os valores do financiamento variam de R$ 80 a R$ 270 reais”, informou Silmar.

Clique aqui para ver a lista de sorteados.

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

José Baía / Secom

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá