quarta, 27 de fevereiro de 2019 - 21:29h - 6086
Luz Para Todos vai impulsionar desenvolvimento de comunidades isoladas no Amapá
Nesta primeira etapa do programa 68 mil pessoas serão beneficiadas. Obras são executadas com recursos do governo federal e contrapartida do Governo do Amapá.
Por: Andreza Teixeira
Foto: Philippe Gomes / Secom
Comunidades isoladas, como o Distrito de Carnot, em Calçoene, serão contempladas com energia elétrica

O governador do Amapá, Waldez Góes, inspecionou nesta quarta-feira, 27, as obras de execução do programa "Luz Para Todos" nos distritos de Carnot e Lourenço, no município de Calçoene. Durante a visita técnica, Góes ressaltou que o acesso à energia impulsionará a vocação socioeconômica das localidades.

O Luz Para Todos é uma iniciativa do governo federal, com contrapartida do Governo do Amapá. Inicialmente, o planejamento prevê a instalação de 17.004 novas ligações, beneficiando 68 mil pessoas. Destas, 5.274 estão sob a responsabilidade da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA). O restante, 11.730, será de responsabilidade das Centrais Elétricas do Norte do Brasil (Eletronorte).

Nesta primeira etapa, a CEA dividiu as obras em duas frentes: a norte, onde as comunidades beneficiadas são Carnot e Lourenço; e a frente sul, onde comunidades do município de Mazagão serão beneficiadas, sendo Maracá a primeira delas. Para Waldez, trata-se de uma importante conquista para a população amapaense.

“O Carnot tem um potencial agrícola impressionante; o Lourenço se destaca no setor mineral. Já o Maracá é uma região com grande potencial na área da agroindústria e, mesmo, com dificuldades, a população de lá já trabalha no processo inicial de castanha. O acesso à energia vai contribuir no processo de desenvolvimento dessas vocações”, afirmou o governador.

O governador reforçou que avançar com o Luz para Todos é um dos compromissos do mandato 2019-2022. Ele acrescentou que, nos últimos dias, esteve em Brasília, onde buscou sensibilizar o governo federal sobre a importância de o programa alcançar um número ainda maior de comunidades.

Presente na visita, o coordenador do Luz Para Todos no Amapá, José Elias Rosa, destacou que o Amapá possui grupos de pessoas vivendo em regiões remotas onde há dificuldades em levar energia devido, principalmente, às questões ambientais. “Para essas situações, é preciso pensar em sistemas alternativos, como energia solar ou eólica. São modelos viáveis e que atendem às normas do Luz Para Todos”, ressaltou Rosa.

Também participaram da visita técnica às comunidades de Carnot e Lourenço, o chefe adjunto do Gabinete Civil do governador, Carlos Marques, o secretário adjunto da Secretaria de Estado das Cidades, José Carlos Carvalho, e o coordenador do Comitê Gestor estadual do Luz para Todos, André Balieiro.

Investimentos

Para as 5.274 unidades que serão interligadas pelas empresas contratadas pela CEA, o custo é de R$ 82 milhões, dos quais o Governo do Amapá garantiu a contrapartida financeira de R$ 8,2 milhões (10% do total), sendo R$ 2,1 milhões já liberados à primeira etapa (Maracá, Lourenço e Carnot). Além destas comunidades, outras, dos municípios de Oiapoque e Vitória do Jari, também serão alcançadas pelas obras da CEA.

Luz Para Todos no Amapá

O Programa Luz Para Todos teve início no Amapá em 2006. A Eletronorte/Eletrobrás era a executora das obras para tirar as comunidades isoladas do escuro. A meta era atender pouco mais de 20 mil unidades consumidoras, contudo, em 2014, o programa foi paralisado e apenas 7 mil residências rurais receberam o serviço. Em 2018, o Governo do Amapá retomou o programa, após intensa articulação política do governador Waldez Góes em Brasília.

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

Philippe Gomes / Secom

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá