quinta, 26 de março de 2020 - 14:51h - 556
Polícia flagra distribuidora com medicação vencida e prende proprietário
Além de remédio, ação apreendeu insumos fora da validade. Operação COVID-19 das Forças de Segurança do Estado chega a 2º fase de trabalho.
Por: Da Redação .Colaboradores: Ailton Leite e Lourena Carvalho
Foto: Divulgação/Polícia Civil
Operação COVID-19 chega segunda fase de trabalho no Amapá.

O início da 2ª fase da operação COVID-19 resultou nesta quinta-feira, 26, na prisão de um dos proprietários de uma distribuidora de medicamentos, que foi flagrada com estoques de remédios e insumos fora da validade.

Esse trabalho contou com a parceria do Instituto de Defesa do Consumidor (Procon), que autuou o empreendimento, e a Polícia Civil, que realizou a prisão, além da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS).

De acordo com a Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor (Deccon), o objetivo é combater preços abusivos, principalmente, de produtos de higiene e proteção individual e crimes como fralde.

Na ação, foram apreendidas medicamentos a base de óxido de zinco e replasul de pastilhas, insumo revelador de placa bacteriana utilizada em clínicas odontológicas. Em lei, o crime contra relações de consumo prevê pena de 2 a 5 anos de reclusão.

A ação aconteceu após representação ao Poder Judiciário embasada em denúncias de que as distribuidoras estariam retendo produtos em estoque para especulação de preços, bem como estariam vendendo-os a preços abusivos.

Operação COVID-19

Seguem as fiscalizações em farmácias e outros empreendimentos para identificar irregularidades. A ação conjunta já interditou três farmácias da capital e prender dois homens que comercializam álcool em gel adulterados.

A ação não tem prazo para término. Já próximo da 3ª fase, a operação terá a análise de prova documental de notas fiscais dos fornecedores, dos distribuidores e das farmácias para justifiquem os reajustes de preços.

O consumidor de sentir-se prejudicado ou suspeitar de vendas duvidosas pode entrar em contato com o Procon, através do número 151, ou Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes) pelo 190.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá