quinta, 25 de julho de 2019 - 17:59h - 9505
Na Missa de São Tiago, bispo defende festividade como patrimônio social
Ápice da festividade de São Tiago acontece no dia do santo, momento religioso que tradicionalmente reúne os participantes para devoção à imagem.
Por: Henrique Borges
Foto: Marcelo Loureiro
Missa é um dos momentos mais marcantes na religiosidade histórica da festa

A Missa de São Tiago, que simbolicamente representa o início do dia da batalha entre mouros e cristãos em Mazagão Velho, foi celebrada nesta quinta-feira, 25, pelo bispo do Amapá Dom Pedro Conti e pelo padre Lino, da Paróquia de Mazagão. A cerimônia, uma das mais marcantes na religiosidade histórica, foi assistida pelo governador Waldez Góes e seus familiares, além de outras autoridades políticas locais.  

Durante a celebração, Dom Pedro defendeu a preservação da festa como patrimônio social. “O patrimônio de uma família, de uma sociedade, não é simplesmente o patrimônio que se mede pelo dinheiro, mas, sim, aquilo que chamam de patrimônio social, que é o que precisamos resgatar. A festa é o exemplo visível e palpável de patrimônio social”, falou o bispo.

A missa iniciou por volta de 7h45, quando chegaram para a frente da capela as imagens de São Tiago e São Jorge, levadas pelos mascarados. A tradicional cerimônia conta com dois momentos marcantes, que são o juramento de São Tiago e a procissão do círio.

O dia 25 de julho, Dia de São Tiago, é representativo e histórico para os cristãos, e, principalmente, para os munícipes do distrito de Mazagão Velho. Por conta disso, o governador Waldez decretou ponto facultativo nesta quinta-feira, em todos os órgãos públicos do Executivo, buscando incentivar a tradição e a visitação, fazendo, assim, movimentar a cadeia econômica local e perpetuar a história da festa.

“Todos os anos a associação responsável pela organização da Festa de São Tiago faz um ótimo trabalho, e torna a festividade mais bonita ainda. Precisamos continuar trabalhando juntos, todos os poderes e os cidadãos amapaenses, para manter a tradição”, disse o governador do Amapá.

A programação, após o círio, seguiu para a dança do vominê, no barracão de São Tiago, onde também aconteceu o leilão de itens doados para a associação, que arrecadou R$ 6,5 mil. A festividade segue até o dia 28, que será outro momento para a encenação da batalha entre mouros e cristãos, mas, desta vez, pelas crianças que moram em Mazagão.

A Festa de São Tiago

Tradição trazida da África no século 18, a Festa de São Tiago completa 242 anos em 2019, e acontece de 16 a 28 de julho. É realizada desde o ano de 1777 em Mazagão Velho, no município de Mazagão. Mistura rituais religiosos, cavalhada e teatro a céu aberto para contar a aparição de Tiago como um soldado anônimo que lutou bravamente ao lado do povo cristão contra os mouros e garantiu sua vitória.

É organizada e realizada pela comunidade local, através da Associação Cultural da Festa de São Tiago (ACFST), com apoio do Governo do Amapá e prefeitura local. Este ano, o Estado investiu R$ 692.738,40, repassados através de convênio celebrado entre a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e a Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Mazagão (MazagãoCult).

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

Marcelo Loureiro

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá