quinta, 25 de abril de 2019 - 08:48h - 565
Acolhimento: ‘Muitos não sabem o que fazer’, diz familiar de autista ao sugerir mais ações
Familiares dividiram angústias, dúvidas e as vitórias de seus filhos, com terapeutas, psicólogos e fonoaudiólogos no segundo dia da I Semana TEAcolho.
Por: Denise Muniz
Foto: Vera Gondim/Super Fácil
Crianças e jovens autistas participaram de atividades físicas em espaço na unidade da zona oeste de Macapá, no Super Fácil

A troca de experiências e o acolhimento de familiares de pessoas com autismo foi o ponto alto da programação desta quarta-feira, 24, da I Semana Azul TEAcolho do Super Fácil. Numa roda de conversas, familiares dividiram angústias, dúvidas e as vitórias de seus filhos, com terapeutas, psicólogos, fonoaudiólogos e educador físico.

A Semana Azul TEAcolho foi lançada na terça-feira, 23, e segue até sexta-feira, 26, no Super Fácil Zona Oeste, em Macapá, com brincadeiras e gincanas para crianças e jovens com o Transtorno de Espectro do Autismo (TEA), e bate-papos e momentos de beleza e relaxamento, para as famílias.

Nesta quarta-feira, além do acolhimento das famílias, houve brincadeiras e práticas esportivas com crianças e jovens autistas, no salão externo da unidade.

Sob os cuidados do tio, o professor de educação especial Patrick Vieira, 33 anos, a jovem Sabrina Vieira, 19 anos, participou de atividades físicas e brincadeiras coordenadas por monitores da unidade.

Diagnosticada com autismo de alta função, a jovem Sabrina convive bem em sociedade, segundo o tio, e está se formando em designer em uma faculdade privada de Macapá. “Ela é muito inteligente, uma das melhores da turma”, elogia Patrick Vieira.

O professor de educação especial conta que desde o diagnóstico da menina, a família trabalhou a sua independência e inclusão. Vieira acredita que mais ações voltadas a esse público devem ser feitas, para que as famílias sejam orientadas sobre como agir com pessoas autistas, trabalhando a aceitação.

“Acho importante esse tipo de ação, mas acho que deve haver mais. Muitos não sabem como agir diante do diagnóstico e, escondem, recolhem seus filhos. É importante educá-los para a independência”, sugeriu o professor.

Nesta quinta-feira, 25, será a vez de mães e pais relaxarem e aproveitarem momentos de beleza e de lazer. Paralelo a isso, crianças e jovens autistas vão ser inseridos em gincanas e atividades esportivas.

No encerramento da programação, haverá a inauguração da sala de acolhimento às famílias de autistas, um espaço fixo reservado para dar atenção a esse público, no Super Fácil Zona Oeste.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá