quarta, 25 de março de 2020 - 09:26h - 1978
Saúde mental e autocuidado: psicólogos orientam quanto ao confinamento durante quarentena
O isolamento social é necessário neste momento para evitar a proliferação do novo coronavírus. Aulas na rede estadual de ensino estão suspensas por 15 dias.
Por: Wellington Costa .Colaboradores: Valdeí Balieiro
Foto: Erich Macias/Seed
Inserir uma rotina de estudos é importante para não quebrar o elo com a escola, por exemplo.

Nesse momento em que todo o país está em alerta para uma nova ameaça viral, o isolamento social tem se mostrado como uma das principais armas de prevenção e enfrentamento, segundo orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS). O novo coronavírus (COVID-19) fez com que pessoas rompessem o convívio com familiares, amigos e conhecidos.

No Amapá, escolas da rede pública de ensino tiveram que suspender, temporariamente, o ano letivo para evitar aglomerações no ambiente escolar e possível propagação do Covid-19. Com isso, diretores, coordenadores pedagógicos, administrativos, professores, serventes, merendeiras e alunos tiveram que cumprir a medida adotada pelo Governo do Estado: ficar em casa.

De acordo com a psicóloga do Centro de Valorização da Educação (CVEDUC), da Secretaria de Estado da Educação (Seed), Deyse Quintas, cada indivíduo tem sua própria maneira de se comportar, mas deve reconhecer o real sentido disso.

“Cada um de nós reage de maneira peculiar, com própria personalidade e atitudes. Então, o importante é reconhecer o que estamos sentindo e expressar isso, entendendo que esse momento é importante para garantir a saúde de todos. É um momento que vai permitir a aproximação ainda mais de pais e mães com seus filhos, por exemplo”, disse Deyse.

A psicóloga conta ainda que as crianças que ficarão em casa devem ter um trabalho específico diferente do que é trabalhado com adolescentes.

“As crianças têm percepções diferentes do que é com um adulto ou adolescente, por isso, esse trabalho com elas deve ser feito de forma lúdica para ensinar. Assim, elas absorverão melhor as informações sobre confinamento e de prevenção contra o contágio”, reforça.

Muitas pessoas utilizarão esse tempo que ficarão em confinamento para realizar atividades que antes não conseguiam por conta da rotina que tem. É o momento para que pais e mães desenvolvam atividades com as crianças e adolescentes como brincadeiras, mas também ensinar sobre disciplina. Claro, isso deve ser feito de maneira ordenada com tempo determinado para cada coisa.

Para a psicóloga do atendimento especializado do CVEDUC, Idianne Medeiros, inserir uma rotina de estudos é importante para não quebrar o elo com a escola, por exemplo.

“Planeje sua rotina, inserindo atividades com reais chances de concretizar, opte por atividades prazerosas e saudáveis, que possam te ajudar a desenvolver sentimentos de bem-estar: leitura, exercício físicos, assistir filmes com filhos, jogos em família. É ideal que de acordo com a idade e capacidade de compreensão, seja explicado a ela o que está acontecendo e principalmente que sejam inseridas atividades para entretenimento que posso minimizar o estresse causado pelo confinamento”, pontuou Idianne Medeiros.

Ambas as profissionais enfatizaram a necessidade de filtrarmos as informações que estamos recebendo neste momento de pandemia. Mantermos informados é essencial, porém, o excesso de informações desnecessárias pode impactar diretamente na nossa saúde mental. Para isso, é importante evitar passar muito tempo assistindo vídeos e notícias sobre o assunto, mas escolher horários determinados do dia para assistir jornal e se informar sobre o assunto.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá