sexta, 22 de novembro de 2019 - 13:39h - 797
Escolas ganham reforço contra o tabagismo com Programa Saber Saúde na Escola
Ação é promovida pelo Governo do Estado, através da Sesa, como estratégia de enfrentamento ao tabagismo entre professores e alunos.
Por: Elmano Pantoja
Foto: Elmano Pantoja/Sesa

Por ser a escola um espaço privilegiado de troca de saberes e de mudanças de comportamentos com grandes impactos sociais, o Governo do Estado através da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), começou a desenvolver, junto a professores, o Programa Saber Saúde na Escola (PSE), que tem como estratégia o enfrentamento ao tabagismo. A ferramenta consiste na formação dos educadores para trabalharem conteúdos relacionados à promoção da saúde e prevenção do tabagismo com crianças, adolescentes e jovens dentro das escolas.

Inicialmente o programa assistirá professores da rede estadual de educação, em especial das escolas Maria Ivone de Menezes, Jesus de Nazaré e Ruth de Almeida Bezerra. Os educadores serão munidos de informações com base científica que auxiliam na abordagem do tema tabagismo e outros fatores de risco à comunidade escolar e local.

Para a responsável técnica do Programa de Enfrentamento ao Tabagismo do Estado, Assunção de Maria Rocha, trabalhar esse tema dentro das escolas é delicado. Por isso mesmo,  requer preparo técnico, tendo em vista que é uma prática comum.

"Nas escolas, principalmente as periféricas, sabemos que é comum nos depararmos com alunos fumantes e que, na maioria dos casos, o cigarro é algo que está inserido no contexto familiar. Então, como fazer esse jovem entender que o tabaco é prejudicial à saúde se é algo que faz parte da rotina dele? Por isso, é importante que esses profissionais tenham um preparo técnico para fazer a abordagem", explicou Assunção.

Para munir os professores, é entregue material de apoio que consta de dois livros, duas revistas para crianças e adolescentes, adesivos, cartazes, vídeos e um jogo pedagógico, tudo com uma abordagem sensível e adaptada. O público-alvo são alunos do primeiro e segundo segmento do Ensino Fundamental, mas as sugestões de atividades podem ser adaptadas para a Educação Infantil e Ensino Médio.

"Levar informação até o aluno é o primeiro passo. Após, precisamos envolvê-lo na discussão sobre as consequências do fumo e ir mostrando aos poucos o quanto o tabaco pode ser prejudicial. As técnicas para fazer essa abordagem de forma sutil são essenciais para que o resultado seja satisfatório, ao invés de afastar esse jovem da escola", ressaltou o professor de ciências José Augusto Alves, da Escola Estadual Maria Ivone de Menezes.

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

Elmano Pantoja/Ascom-Sesa

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá