segunda, 22 de abril de 2019 - 10:50h - 3018
Ciclo do Marabaixo: Festa do Domingo de Páscoa agita barracões em Macapá
Programação aconteceu nos barracões do Marabaixo do Pavão e na Associação Raimundo Ladislau; próximos eventos ocorrerão no dia 1º de maio.
Por: Gabriel Penha
Foto: Gabriel Penha/Seafro
Marabaixo no barracão do Grupo Raimundo Ladislau, em Macapá, na noite de domingo, 21

As caixas rufando, as vozes empostadas dos cantadores, as roupas floridas e as saias rodadas deram o tom da segunda noite do Ciclo do Marabaixo 2019, no dia 21. A programação do Domingo de Páscoa aconteceu nos barracões do Marabaixo do Pavão, no bairro Jesus de Nazaré e na Associação Raimundo Ladislau, no bairro do Laguinho, em Macapá.

Mais uma vez, tradição e resistência que envolvem a festividade ficaram evidentes. No Marabaixo do Pavão, a festeira Naíra de Paula Sena explicou que o mais importante é a presença das novas gerações, o que ajuda a manter a tradição. “Nós herdamos essa tradição de nossos antepassados. Um dia, nós passaremos e essa juventude é quem irá garantir que a tradição, a cultura e a riqueza do marabaixo não se acabem”, disse.

No Grupo Raimundo Ladislau, a felicidade tomou conta de uma das festeiras, Laura Ramos. Ela dançava e reverenciava a avó, Benedita Guilhermina Ramos, 94 anos, a Tia Biló, como é mais conhecida a filha do saudoso mestre Julião Ramos - um dos precursores da manifestação cultural - e matriarca da família que mantém o barracão.

“É mais um ano de alegria, não só para a família, para os amigos e a todos os que gostam e respeitam o Marabaixo. Essa tradição é nossa, é do Amapá, é do Brasil”, festejou Laura.

Presente no evento, o secretário extraordinário de Políticas para Afrodescendentes (Seafro), Aluizo de Carvalho, afirmou que o esforço dos grupos de manter a tradição viva, soma-se aos esforços do Governo do Amapá de apoiar e valorizar as manifestações culturais dos amapaenses.  

O próximo Marabaixo será no dia 1º de maio, o Marabaixo do Trabalhador, no barracão da Tia Gertrudes, no bairro Santa Rita. Porém as atividades do ciclo não param, com as oficinas de confecção de caixas, no dia 27 de abril (sábado) na comunidade de Campina Grande e uma apresentação especial,  realizada pelo Grupo Dica Congó, no dia 28 de abril (domingo) na praça do bairro dos Congós, na zona sul de Macapá.

Fomento

O Marabaixo foi reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em novembro de 2018. Para a realização do ciclo deste ano houve um investimento de R$ 130 mil, divididos igualmente entre os grupos realizadores.

Marcados pelo culto ao Divino Espírito Santo e à Santíssima Trindade, os festejos seguem até o chamado Domingo do Senhor, primeiro domingo após a celebração de Corpus Christi, este ano, no dia 23 de junho. Na extensa programação, ainda constam missas, ladainhas, retirada dos mastros pelos grupos, bailes e jantares, dentre outros rituais.

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

Gabriel Penha/Seafro

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá