segunda, 22 de fevereiro de 2021 - 16:27h - 546
Em reunião com prefeitos, Waldez recomenda manter medidas de restrição contra a Covid-19
Governador do Amapá detalhou estratégias de enfrentamento nesta segunda-feira, 22, após Coesp apresentar novo relatório epidemiológico.
Por: Jorge Abreu
Foto: Marcelo Loureiro
Governador em reunião com equipe de governo, prefeitos e secretários municipais de saúde

O governador do Amapá, Waldez Góes, em reunião virtual com prefeitos e secretários municipais de saúde, nesta segunda-feira, 22, tratou sobre as medidas preventivas contra a Covid-19 que serão definidas nos decretos estadual e municipais. Durante a conversa, ele orientou manter as mesmas restrições, sem flexibilizar novas atividades.

A orientação foi baseada nas informações atualizadas do relatório epidemiológico do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp).

"Nós não podemos tomar decisões sem estarmos cercados de informações oficiais. Paralelo às medidas preventivas, o Amapá está com frentes de trabalho para ampliação de leitos e instalação de usinas de oxigênio", garantiu o chefe do Executivo.

Durante a reunião, Waldez Góes também destacou a investigação de casos de variantes do vírus no território amapaense. O Amapá ainda não tem confirmações de novas cepas.

Novos leitos

Waldez Góes lembrou o pedido da abertura imediata de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), feito através da carta assinada pelo Consórcio Interestadual da Amazônia Legal destinada à Nação. Esta solicitação conta com o apoio do senador Davi Alculumbre, que artucula junto ao governo federal.

Na carta, os governadores da Amazônia Legal também solicitaram a retomada do auxílio emergencial para as famílias em vulnerabilidade social, que sofrem o impacto socioeconômico causado pela pandemia.

Sequenciamento genético

O governador firmou, na semana passada, uma cooperação regional com o governo da Guiana Francesa para sequenciamento de amostras de casos suspeitos de novas variantes. O departamento ultramarino francês já confirmou novas cepas, o que gera alerta para Oiapoque, que fica na região de fronteira.

As amostras coletadas no Amapá eram enviadas ao Instituto Evandro Chagas, em Belém (PA). Nesse laboratório licenciado pelo Ministério da Saúde, os resultados demoram cerca de 60 dias. O processo de sequenciamento do vírus realizado pela Agência Regional Francesa leva entre 4 a 14 dias para obtenção de resultados. O Amapá prepara o envio das primeiras amostras a serem analisadas.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá