terça, 22 de janeiro de 2019 - 16:34h - 325
Diagro anuncia fiscalização sobre transporte e comercialização de suínos
Medida visa garantir o controle sanitário e resguardar a saúde pública da população. Ação inicia pelos municípios de Macapá e Santana.
Por: Ailton Leite
População deve consumir apenas a carne suína que tem o Selo de Inspeção Federal, que garante a qualidade e procedência do produto

Visando garantir o controle sanitário e resguardar a saúde pública da população, a Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Amapá (Diagro) vai iniciar, a partir de fevereiro, as fiscalizações no trânsito e na comercialização clandestina de carne suína nos municípios de Macapá e Santana. As ações serão feitas em conjunto com a Vigilância Sanitária do Município, Delegacia de Defesa do Consumidor, Instituo de Defesa do Consumidor (Procon) e Ministério Público Estadual (MPE/AP).

Segundo o diretor da Diagro, José Renato Ribeiro, somente supermercados e mercantis comercializam carnes de suínos inspecionados e com o selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF).

“Uma recomendação que fazemos é que os consumidores comprem carnes que tenham em suas embalagens o selo SIF, que garante que a mesma passou por um rigoroso controle de qualidade, e, portanto, está apta para o consumo”, explicou Ribeiro.

Ainda de acordo com o diretor, uma carne abatida de forma clandestina e não inspecionada oferece diversos riscos à saúde de quem consome, além de colocar em risco o rebanho amapaense.

“Não só em relação à peste suína, mas também a outras doenças vesiculares que podem acometer o rebanho do Estado, sem falar em doenças que podem atingir o ser humano como a tuberculose ou a cisticercose, comum na carne de suínos, e que podem ser transmitidas ao ser humano”, detalhou o diretor.

No Amapá, apenas um matadouro, que fica localizado no município de Santana, está autorizado a fazer o abate dentro dos padrões exigidos pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa). O abate, segundo a Diagro, segue o mesmo rigor de inspeção para bovinos e bubalinos, e a carne sai de lá para o comércio legalizada e, principalmente, inspecionada.

“Recomendamos aos criadores e comerciantes que procurem a Diagro para se cadastrar e obter informações de registro e cadastro, da propriedade e dos animais, e com isso, obter a documentação para o trânsito de animal e controle sanitário” reforçou José Renato.

As ações iniciarão em Macapá e Santana, porém, a Diagro pretende estender aos demais municípios ainda este ano.

Outras fiscalizações

Além da carne suína, as fiscalizações em produtos lácteos, como queijo por exemplo, que estariam entrando clandestinamente ao Estado vindo de municípios paraenses, serão fiscalizadas.

Mosca da carambola

As ações de combate à mosca da carambola, em embarcações, assim como a qualquer produto que venha adentrar ao Estado e que esteja fora dos padrões sanitários também estarão dentro do cronograma de fiscalizações do órgão.

Nesta quarta-feira, 23, o diretor-presidente da Diagro participará de uma reunião técnica do Programa Nacional de Erradicação da Mosca da Carambola, que acontece na capital paraense. Na ocasião serão traçadas ações conjuntas entre Pará e Amapá no combate à mosca da carambola, assim como de outras pragas e doenças que afetam tanto a parte vegetal como a animal nos dois estados.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá