sábado, 21 de março de 2020 - 13:49h - 1030
Forças de Segurança e Vigilância fiscalizam cumprimento de restrições em estabelecimentos comerciais
Mais de 50 profissionais foram as ruas fiscalizar estabelecimentos comerciais e cumprimentos das medidas.
Por: Anne Santos
Foto: Marcelo Loureiro

Para garantir o cumprimento do decreto governamental nº 1414, que restringe atividades comerciais, religiosas, de atendimento público em todo o Estado, o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (Coesp) realizou neste sábado, 21, uma ação no centro comercial de Macapá.

A abordagem contou com o apoio das Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros do Amapá. O decreto suspende por 15 dias algumas atividades e,conômicas para evitar aglomerações de pessoas como medida de prevenção ao risco de transmissão do novo coronavírus (COVID-19).

Mais de 50 profissionais de segurança foram às ruas fiscalizar supermercados, lojas do centro comercial e pequenos estabelecimentos na periferia, além de orientar a população quanto ao cumprimento da quarentena. De acordo com o decreto, devem ser suspensas todas as atividades em estabelecimentos comerciais, exceto aqueles que participem da cadeia produtiva e de distribuição de produtos de primeira necessidade para população.

Antes de fechar os estabelecimentos que descumpriram o decreto, os proprietários foram orientados sobre importância e medidas de prevenção. Nenhuma ação policial mais severa, como prisão, foi necessária.

“Ação positiva, os empresários estão receptivos, compreendem a situação e estão colaborando sem resistência.  É um momento que precisamos da contribuição de todos”, enfatizou o comandante da Polícia Militar, coronel Paulo Matias.

Ele orienta que a população denuncie casos de descumprimento do decreto, como festas com aglomeração de pessoas, aniversários. As ligações podem ser feitas para o 190. Uma equipe da PM será enviada ao local.

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Wagner Coelho, informou que os supermercados têm cumprido as normativas como manter a distância entre os caixas, disponibilização de álcool em gel para os clientes, acesso ao lavabo e sabão para higienização das mãos.

“Com exceção dos estabelecimentos de necessidades básicas, os demais devem permanecer fechados em cumprimento ao decreto, essa medida é necessária para evitar a proliferação do vírus”, alertou.

Consumo consciente

Em um dos supermercados fiscalizados, a subgerente Dayane Melo lembrou a importância do consumo consciente.

De acordo com ela, a empresa já adotou medidas como fechar o restaurante e a padaria para consumo na loja, trabalhando apenas com fornecimento para viagem, dispensa dos trabalhadores dos grupos de riscos e anúncio na rádio interna sobre cuidados para prevenção.

“Percebemos uma grande corrida aos supermercados para estocar comida. Não é momento para sermos egoístas, precisamos pensar no coletivo e adotar o consumo consciente para que não falte para outras pessoas”, afirmou.

Outra orientação é que apenas uma pessoa da família vá às compras e que os clientes mantenham a distância na fila.

Essas orientações foram colocadas em um banner logo na entrada do supermercado, onde Márcio Costa, trabalha. Durante a visita dos agentes, o gerente considerou a fiscalização como um reforço do cuidado que os empresários adotaram.

“Essa ação do governo mostra a importância dos cuidados que tomamos e devemos continuar. Além de mostrar aos nossos clientes que isso é sério, não é uma brincadeira e precisamos nos cuidar”, afirmou o gerente.

O Coesp continuará monitorando o cumprimento do decreto pelos próximos 14 dias.

GALERIA DE FOTOS

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá