quinta, 20 de fevereiro de 2020 - 13:02h - 4186
Escola estadual do interior dá exemplo de gestão de recursos e relação com a comunidade
Maria de Nazaré da Silva conseguiu, com a ajuda da comunidade, repaginar a Escola Estadual Jarilândia. O colégio fica localizado na zona rural do Jari
Por: Wellington Costa
Foto: Erich Macias/Seed
Maria de Nazaré, diretora da Escola Jarilândia, falou a experiência exitosa no Encontro de Gestores, que iniciou nesta quinta-feira, 20, e prossegue na sexta-feira, 21, na sede do Sebrae, em Macapá.

Durante o Encontro de Gestores da rede estadual de ensino, que iniciou na manhã desta quinta-feira, 20, um dos destaques foi a experiência compartilhada pela diretora da Escola Jarilândia. Localizada na zona rural de Laranjal do Jari, no sul do Estado, a escola passou por uma repaginada no final de 2019. Mas, para que tudo saísse como o planejado, a gestora contou com a ajuda dos pais de estudantes e da comunidade.

Maria de Nazaré da Silva contou a história para mais de 300 diretores escolares.

“Compartilhar essa história com meus colegas gestores só me faz acreditar que estamos no caminho certo, o de proporcionar educação com qualidade para os nossos estudantes”, destacou a diretora.

"Juntos somos mais fortes!". Foi com esse lema que a diretora da Maria de Nazaré conseguiu unir a comunidade em prol de uma grande ação: dar ‘cara nova’ ao prédio do colégio. Com recursos captados via Programa Escola Melhor (Proem), do Tesouro Estadual, foi possível fazer os serviços de pintura, reforma do telhado, ampliação da cozinha, recuperação de esquadrias e espaços que não estavam sendo usados.

O recurso que a escola recebeu foi no valor de R$ 32 mil. Sabendo que os serviços eram maiores que a quantia poderia pagar, a gestora Maria de Nazaré da Silva resolveu pedir ajuda da comunidade. Juntos, montaram uma equipe de trabalho e mapearam o que seria prioridade a ser feito.

“Levantamos os serviços que precisam ser feitos e em reunião com a comunidade escolar, decidimos o que seria prioridade neste momento. Com a união e comprometimento de todos, ficou mais fácil tocar os trabalhos”, comentou.

Localizada às margens do rio Jari, na zona Rural de Laranjal do Jari, a escola Jarilândia atende 159 estudantes distribuídos nos Ensinos Fundamental II (6º ao 9º ano) e Médio. Além da comunidade local, o colégio atende várias crianças e jovens de Gurupá e Almerim, localidades do Pará que ficam próximas de lá.

Tudo do jeitinho deles

Com o plano de ação pronto, a diretora procurou a Coordenadoria de Rede Física da Secretaria de Educação (Coref/Seed). Lá, receberam orientações técnicas de arquitetos e engenheiros para tocar os trabalhos da melhor forma.

E tudo saiu do jeitinho que a comunidade havia planejado. Paredes receberam nova pintura, espaços ganharam grades de proteção, o telhado foi reformado, banheiros passaram a ter novas louças, a cozinha foi ampliada, além da limpeza e vedação do prédio para não entrar animais peçonhentos.

O mestre de obras Lucirclei Sousa deu uma ‘mãozinha’ nos serviços. Ajudou no que pode. Pai de 7 filhos, 5 deles estudantes da escola Jarilândia, ele conta que agora a garotada é só felicidade ao ir para o colégio.

“Ver a cara de felicidade dos nossos filhos não tem preço. Eles vão animados ‘pra’ aula, porque irão encontrar um espaço que está novinho. Nós, pais, precisamos participar ativamente das decisões escolares, arregaçar as mangas e ajudar no que for preciso. É assim que as coisas andam por aqui”, diz com alegria o mestre de obras.

Foram 80 dias de trabalhos até que tudo ficasse pronto. A comunidade comemorou com um grande encontro no refeitório da escola, reunindo professores, estudantes e todos que ajudaram na transformação.

“Foi um trabalho árduo. Sempre perguntam se fizemos milagre com o dinheiro. Acredito que não. Mas, quando se trabalha com compromisso, mobilizando a comunidade em prol da educação, todos saem ganhando”, reforçou a diretora Maria de Nazaré.

Como acessar recursos do Proem

O Programa Escola Melhor (Proem), instituído pela Lei nº 2.123/2016, tem a finalidade de promover a transferência de recursos financeiros em favor das escolas públicas de Educação Básica da rede estadual, com vistas à melhoria da qualidade do ensino. Clique aqui e baixe a lei

Através do Proem a escola tem acesso a recursos no valor de até R$ 33 mil, direto no Caixa Escolar da unidade educacional. Os recursos transferidos destinam-se à cobertura de despesas com aquisição de material de consumo, prestação de serviços por pessoa física e/ou jurídica e aquisição de material permanente.

Para acessar recursos do programa, a gestão escolar deve obedecer aos seguintes procedimentos:

I - elaboração do Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE), completo e/ou simplificado, com ampla participação da comunidade escolar, com base nas diretrizes pedagógicas e administrativas da escola e nas instruções normativas da Secretaria de Estado da Educação e Ministério da Educação (MEC);

II - análise e aprovação do PDE, completo ou simplificado pelo Grupo Técnico de Apoio à Escola (GTAE), formado por gestores dos níveis de ensino da Educação Básica, técnico-pedagógico, planejamento, apoio ao educando e administrativo-financeiro da Seed;

III - execução dos recursos de acordo com o PDE completo e/ou simplificado aprovado;

IV - prestação de contas na forma e nos prazos estabelecidos nas instruções normativas da Seed e MEC, e obrigatoriamente divulgada no interior da escola e na comunidade.

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

Ascom/Seed e Arquivo Pessoal

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá