quinta, 17 de janeiro de 2019 - 19:21h - 648
Amapá e Pará buscam soluções conjuntas para desenvolverem vocações produtivas
Encontro das Federações das Indústrias do Amapá e Pará resultou na criação de um documento conjunto entre os dois Estados.
Por: Da Redação
Foto: André Rodrigues
Documento com as reivindicações dos Estados foi entregue ao vice-governador do Amapá, Jaime Nunes

Aconteceu nesta quinta-feira, 17, no auditório do Sebrae Amapá, o 1º Encontro Estadual das Federações das Indústrias do Amapá e do Pará. O evento foi promovido pela Federação das Indústrias do Estado do Amapá (FIEAP) em conjunto com o Fórum do Setor Produtivo do Amapá, quando foram discutidos as vocações e os desafios para o desenvolvimento econômico dos dois Estados.

Na ocasião, ocorreu a assinatura da Carta do Amapá, documento que contém as reivindicações e as propostas dos representantes dos setores primário, secundário e terciário.

A carta representa os anseios da premissa do desenvolvimento econômico e social tão almejado pelos estados do Amapá e do Pará, que nas últimas políticas públicas nacionais, vêm sendo reprimidos ao acesso à biodiversidade e impactando qualquer processo de desenvolvimento.

Representando o Governo do Estado do Amapá, o vice-governador Jaime Nunes recebeu a carta da comissão organizadora do evento. Em pronunciamento, falou da coincidência dos interesses econômicos e políticos do Amapá e Pará, além da importância do conhecimento sobre a as características da costa litorânea abordada pelos palestrantes convidados.

“Essas informações são valiosas, elas ajudam a criar subsídios para novas políticas públicas. Além de promover uma revolução de conhecimento para a população”, disse Nunes.

Ao final, ele propôs a realização de um evento entre os gestores do governo do Amapá, no sentido de dividir as experiências e os conhecimentos na busca de mecanismos para o desenvolvimento do Amapá.

Palestras

A primeira palestra foi ministrada pelo Dr. Maamar El Robrini, professor titular da Universidade Federal do Pará (UFPA), que abordou o projeto Recursos Vivos da Zona Econômica Exclusiva e Recursos Minerais da Plataforma Continental do Norte do Brasil (Revizee).

Ele destacou que o programa contribuiu na avaliação dos potenciais sustentáveis da ZEE (área política e soberania nacional), na incorporação de novos recursos para a pesca nacional (área da economia), readequação e reaparelhamento das embarcações de pesquisa e laboratórios e o aprimoramento de técnicas e metodologias de pesquisa (área da ciência e tecnologia).

Concomitantemente, o professor Dr. da UFPA, Luiz Ercílio Farias Júnior, fez uma explanação a respeito dos resultados das pesquisas científicas realizadas pela UFPA. Iniciou sua fala exemplificando por meio de uma pergunta que foi imposta por uma determinada revista nacional, se existem corais na costa do Amapá, “Corais não existem na costa do Amapá! Petróleos sim, e com excelente qualidade para ser explorado”, respondeu Hercílio.

A segunda palestra contou como conhecimento do Dr. Marcelo José de Oliveira, com o tema Exploração de Petróleo na Costa do Amapá. Ele explicou que a exploração do petróleo tem diversas fases, estudo geofísico em embarcações, a avaliação de áreas propicias e o armazenamento de combustíveis fósseis. Por último, a pesquisa direta, que é a perfuração /sondagem: conhecimento da geologia e verificação da presença de óleo ou gás.

 “O Amapá tem potencial para combustíveis fósseis porque integra uma grande bacia sedimentar em seu litoral: a bacia da foz do Amazonas. Já foram perfurados 95 poços em vários setores da bacia, inclusive bem próximos da costa”, explicou Oliveira.

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

André Rodrigues

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá