sexta, 15 de dezembro de 2017 - 18:37h - 9341
Seplan e IBGE apresentam desempenho do PIB dos municípios amapaenses
No pódio do PIB Estadual estão Macapá (R$ 9 bilhões), Santana (R$ 1,99 bilhão) e Laranjal do Jari (R$ 559 milhões).
Por: Elder de Abreu

Em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan) apresentou nesta sexta-feira, 15, o resultado da pesquisa Contas Regionais, que definiu, detalhadamente, a participação de cada município amapaense no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. O ano de referência do estudo é 2015.

Para mensurar as riquezas produzidas nas 16 cidades, o cálculo levou em consideração dois dos principais indicadores que refletem o desempenho da economia nos três setores (agropecuário, indústria, e comércio e serviços): o PIB Municipal e o Valor Adicionado Bruto.

Como já havia sido anunciado em novembro, o PIB do Estado fechou em R$ 13,8 bilhões. Os cinco maiores municípios que compuseram a soma de todas as riquezas produzidas no Amapá foram Macapá (R$ 9 bilhões), Santana (R$ 1,99 bilhão), Laranjal do Jari (R$ 559 milhões), Ferreira Gomes (R$ 344 milhões) e Oiapoque (R$ 300 milhões). Juntos, estes municípios respondem por 88,6% do PIB amapaense.

Foi no ano de 2015 foi que a crise econômica no Brasil teve crescimento acentuado. Por isto, neste período, chamou a atenção o crescimento de Ferreira Gomes, com média de 39% desde 2011. Para a economista Regina Célis, da Seplan, o desempenho teve salto em razão da Indústria de Energia Elétrica, que mudou o perfil econômico do município com a instalação de uma usina hidrelétrica.

“Essas informações de estatísticas macroeconômicas podem subsidiar os caminhos de decisões, sejam das políticas públicas ou de interesse do coletivo nos demais segmentos da sociedade”, opina a economista.

Na análise do PIB em função de Preços de Mercado e da Renda per Capita, as maiores quedas em relação aos resultados de 2013 (ano da edição anterior da pesquisa) estiveram nos municípios de Amapá -19,9% e Vitória do Jari -7,1%, Pracuúba -4,7%, Serra do Navio -4%, Pedra Branca do Amapari -3,7%, e Mazagão -3%.

Na análise do PIB per capita, três municípios tiveram renda superior a do Estado. Ferreira Gomes é a primeira renda per capita do estado desde 2013, mas a 4º economia com PIB de R$ 344.384 milhões corresponde a 2,5% de participação. Macapá foi a maior economia do Amapá, com R$ 9 bilhões, mas ocupa a 3ª posição no aspecto renda.

Agropecuária

A pesquisa também detalha a participação dos municípios no PIB estadual por setores econômicos. Percentualmente, o estudo estabeleceu Pracuúba e Cutias como os municípios com maior predominância de atividade rural na sua economia.

A capital amapaense, mesmo com a menor preponderância da agropecuário entre as suas atividades econômicas, ainda foi o município de maior produção agrícola do Estado com 18,4% de participação entre todas as cidades do Amapá. Na sequência vem Tartarugalzinho, com 11,5%, seguido de Porto Grande, com 10,1%.

Indústria

A situação de relevância entre os três setores na economia dos municípios amapaenses é similar para a Indústria. Neste segmento, onde enquadram-se as atividades de geração de energia e mineração, Ferreira Gomes (Energia) e Pedra Branca (Mineração) são as cidades com maior predominância industrial nas suas economias, com 67,6% e 31,9%, respectivamente. Contudo, mesmo não tendo a indústria como o principal setor de suas economias, as maiores produções industriais do Estado ocorreram em Macapá, que concentrou 52,4% da produção industrial do Estado, Santana com percentual de produção de 21,9%, e Ferreira Gomes com 13,4%. Estes três puxaram para cima a média industrial entre os municípios, que fechou em 11,8%.

Comércio e Serviços

Como já era esperado, Macapá e Santana, os dois maiores municípios do Estado, dominaram tanto a predominância como a própria produção no setor de Comércio e Serviços, cujas atividades de maior importância, em ambas as cidades, foram com as vendas do Comércio e as transações imobiliárias. Macapá domina com 76,9% desta produção, e Santana vem em seguida com 12,8% de tudo que foi produzido no Estado no setor de Comércio e Serviços.

Por consequência, as atividades do setor de Comércio e Serviços predominam nas economias destes dois municípios: Macapá 48,9 %, e Santana 36,8%. Eles também são responsáveis pela maior produção na Administração Pública do estado: Macapá 59,7% e Santana 14,1%.

Oiapoque

As atividades com maior desempenho em 2015 com relação a 2014 no município de Oiapoque foram Construção Civil 48,1%, Alojamento e Alimentação 23,8%, Atividade Financeira 24,7% e Atividade Imobiliária 17,6%.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá