sábado, 14 de setembro de 2019 - 15:51h - 1119
Aeronaves farão levantamento topográfico das pistas de pouso em áreas indígenas
Governador Waldez Góes garantiu o suporte das aeronaves da segurança pública do Amapá para auxiliar na regularização das pistas de pouso.
Por: Nathacha Dantas
Foto: Luis Oliveira/Sesai-MS
Waldez Góes garantiu a ajuda durante agenda cumprida em Brasília com a Funai e Sesai

O governador Waldez Góes garantiu o apoio aéreo do Estado do Amapá no trabalho de regularização de pistas de pouso em terras indígenas e aeródromos na região amazônica. O acordo foi firmado nesta sexta-feira,13, onde se reuniu com a secretária Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, Silvia Waiãpi; a assistente técnica da Fundação Nacional do Índio (Funai), Hilda Araujo Azevedo, e demais assessores na Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), em Brasília (DF).

O chefe do Executivo mencionou o trabalho desenvolvido ao longo dos últimos dez anos com as populações indígenas. “Estamos empenhados em auxiliar na melhoria da política de saúde, educação e outras mais que são de direitos dos povos indígenas. Portanto, o Amapá deve participar dessa estratégia para atender às demandas que se fizerem necessárias”, ressaltou Waldez Góes.

Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram que 135 pistas de áreas indígenas estão cadastradas. Destas, no entanto, 112 estão com restrições para serem homologadas, principalmente por não terem apresentado um Plano Básico de Proteção do Aeródromo. Trata-se de um atestado das condições topográficas da pista, a fim de evitar que as aeronaves se choquem com obstáculos como árvores ou morros.

O cenário atual da Região Norte aponta a necessidade de homologação de 11 pistas. São elas: parapará, pururé, kumarumã, ananapiré, kumanê, xiuxuiumene, matawaré, santo antônio, yawa, urunai e kuxaré distribuídas na região do Amapá e Pará, para melhor atendimento às comunidades indígenas.

A secretária nacional de Saúde Indígena, Silvia Waiãpi, que também é amapaense, apresentou o Plano de Trabalho com o quantitativo de pistas a serem topografadas e agradeceu o apoio do governo.

“Com essa parceria vamos poder levar assistência de qualidade, insumos e equipes médicas com segurança para atender os povos indígenas do Amapá”, ressaltou Silvia.

A assistente Técnica da presidência Funai, Hilda Azevedo, informou que outras 209 pistas ainda estão pendentes de regularização, sendo 107 no estado de Roraima, 18 no Mato Grosso, 40 no Pará, 6 no Acre e 38 no Amazonas. Destas, 14 já estão com o processo de homologação.

“É de nosso total interesse que esse projeto seja concluído o mais breve possível, obviamente seguindo as normas e a legalidade dos procedimentos a serem realizados para homologação das pistas”, afirmou Hilda, complementando que serão necessários uma aeronave e um helicóptero para tal atendimento.

Diante da demanda, o governador Waldez se prontificou em dar esse suporte disponibilizando as aeronaves da segurança pública para auxiliar no trabalho e, juntamente com o presidente da Associação dos Grupos Indígenas do Tumucumaque Waianã e Aapalai, Mauraiky Ayanã, mapeou as pistas que tem condições de receber aviões e o helicópteros, solicitando um cronograma para organização da equipe amapaense.

Com informações da Agência Câmara

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

Luis Oliveira/Sesai-MS

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá