terça, 13 de outubro de 2020 - 15:50h - 748
Pandemia transformou a rotina de fisioterapeutas amapaenses
Profissão ganhou destaque no cuidado aos pacientes acometidos pela covid-19. Dia do fisioterapeuta é celebrado em 13 de outubro.
Por: Janine Cruz
Foto: Ascom Sesa
Fisioterapeuta Mário Junior fala sobre o dia a dia do profissional no Centro Covid HU.

A atuação do fisioterapeuta durante o enfrentamento à covid-19 se destacou na recuperação dos pacientes, principalmente aqueles em estado crítico internados em Unidades de Terapia intensivas (UTIs).

No Dia do Fisioterapeuta, 13 de outubro, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) conversou com Mário Ribeiro júnior, que atua no Centro Covid HU, sobre os desafios da profissão e a experiência vivida na rotina de cuidados intensivos.

Fisioterapeuta desde 2013, Mário contou que a pandemia exigiu muito conhecimento técnico, e foi preciso estudar, trocar experiência com profissionais de outros estados e países onde a doença chegou antes. Ele disse que dentre todas as situações difíceis, o conhecimento espiritual e emocional foram decisivos e mudaram sua vida pessoal e profissional.

"No início, tratar de algo que não se tem conhecimento foi desafiador. Minha vida profissional mudou muito, aprendi bastante. Mudei a perspectiva de muitas coisas, me apeguei mais a Deus. Além do meu conhecimento técnico, levei apoio emocional e espiritual aos meus pacientes. Eles estão longe de seus familiares, me coloquei no lugar deles, não os conhecia, mas sei que são importantes para alguém", explicou Mário Júnior, destacando a importância do atendimento humanizado.

Mário disse que além de técnicas respiratórias de monitoramento e controle da ventilação mecânica, o fisioterapeuta realiza intervenções com exercícios, mobilização e reabilitação. Com isso, é possível promover uma recuperação funcional do paciente acometido pela covid-19.

Os últimos meses de trabalho no Centro Covid HU, fez com que toda a equipe crescesse e atuasse em conjunto, tendo a recuperação dos pacientes como estímulo para seguir em frente. E o segredo para se manterem firmes tem sido a atuação conjunta da equipe e a certeza de fazer o que gosta.

"Nossa equipe é preparada, motivada e isso influencia diretamente no sucesso do tratamento da doença. A pandemia nos mostrou muitas situações, tristes e outras bastante motivadoras. E me trouxe uma certeza: hoje vejo que é isso o que sempre quis fazer, ajudar as pessoas a retornarem as suas atividades normais. Cuidar para que tenham suas vidas restabelecidas", relatou o profissional.

Dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional

Dia 13 de outubro é o dia do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional, profissionais que desenvolvem suas atividades na promoção da saúde e no bem-estar da população. Ambos são importantes para a adaptação da vida em sociedade de pessoas com disfunções físicas, sensoriais, cognitivas e psicossociais, sendo responsáveis direto pela melhoria da qualidade de vida destes pacientes.

Na rede estadual de saúde atuam profissionais fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais divididos entre o atendimento ambulatorial – ofertado a população através do Centro de Reabilitação do Amapá (CREAP) – e para atendimento hospitalar – oferecido nos hospitais, principalmente, nas UTIs. 

A covid-19 mostrou a dinâmica do trabalho do fisioterapeuta que ultrapassa a reabilitação pós acidentes ou traumas de doenças adquiridas e genéticas. Mostrou também a sua atuação na prevenção de lesões graves e na promoção da saúde.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá