quarta, 13 de junho de 2018 - 14:23h - 122
IEF vai mapear castanhais de Porto Grande para aumentar produtividade local
Atualmente, 43 famílias trabalham diretamente com extrativismo no município. Ação faz parte do projeto Governança Florestal no Estado do Amapá.
Por: Ailton Leite
Foto: José Baia/Secom
Mapeamento ajudará o extrativista a ganhar tempo, aumentar sua produção e melhorar a qualidade dos produtos coletados

Nos próximos dias, técnicos do Instituto Estadual de Florestas (IEF) vão mapear os castanhais da região do Alto Rio Cupixi, no município de Porto Grande. A ação faz parte do projeto Governança Florestal no Estado do Amapá, iniciada em 2016 e desenvolvido pelo IEF, com recurso de compensação ambiental através de convênio com a Usina Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão.

Segundo o IEF, 43 famílias trabalham com o extrativismo no município de Porto Grande e potencializar essa produção é um dos objetivos do projeto. Com o mapeamento, será possível delimitar as áreas onde é extraída a castanha, para ajudar o extrativista a conhecer melhor a região onde atua e, assim, gerar índices técnicos de produção.

Para isso, será usada a técnica de navegação por GPS, que serve para identificar pontos de localização de cada castanheira. “Isso permite que os pontos coletados em campo sejam precisos e, ao final,  tenha-se um mapa de localização da área de coleta do extrativista”, pontuou o diretor-presidente do IEF, Marcos Tenório.

Os dados serão incluídos em uma planilha de campo, onde serão acrescentadas as informações fornecidas pelo extrativista, como a média de produção de cada área de castanheira, a sanidade, o seu CAP (Circunferência Altura do Peito), a sua localização e se esta área é frutífera, adulta, jovem ou regenerada.

Serão também pontuados os locais de quebra e os depósitos de armazenamento. “Isto ajudará o extrativista a ganhar tempo, aumentar sua produção e melhorar a qualidade dos produtos coletados”, destacou Tenório.

Em 2016, o estado realizou capacitações e adotou novas tecnologias na região do Maracá, no município de Laranjal do Jari, onde fica localizado o maior assentamento extrativista de castanha do Amapá.

Visita técnica

O Instituto Estadual de Florestas do Amapá, em conjunto com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá (Rurap), realizam, até o próximo dia 20, visitas técnicas de acompanhamento e orientação em agroecologia e diagnóstico das unidades produtivas familiares. As ações estão acontecendo nas comunidades do Alto Rio Araguari, em Porto Grande e, em um assentamento do município de Serra do Navio.

Conforme explicou o diretor-presidente do IEF, nessas comunidades, as visitas técnicas atenderam 30 extrativistas e dois beneficiários indiretos, durante os 15 dias de expedição, com a contribuição técnica de extensionistas agropecuários, extensionista social e técnicos em extensão rural, de ambas do IEF e do Rurap.

A ação tem o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da economia familiar com uso de técnicas de produção de base agroecológica, fortalecendo o espaço dos quintais agroflorestais que as famílias possuem. Segundo Tenório, isso vai proporcionar alternativas econômicas e ambientais para os agricultores e, quando for o caso, a transição agroecológica em consonância com as diretrizes da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá