quarta, 13 de janeiro de 2021 - 17:51h - 1531
Com 11.799 doadores em 2020, Hemoap reforça importância do ato que salva vidas
Mesmo com a pandemia causada pelo novo coronavírus, que gerou uma queda de 16,96% no número de doadores, muitos atenderam ao chamado da instituição nos momentos de maior dificuldade.
Por: Janine Cruz
Foto: Maksuel Martins
O sangue coletado e seus componentes foi destinado às unidades hospitalares públicas e privadas do Amapá.

Ao longo do ano de 2020, o Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap) presenciou uma corrente de amor ao próximo e solidariedade. Mesmo com a pandemia causada pelo novo coronavírus, que gerou uma queda de 16,96% no número de doadores – quando comparado com o ano anterior – muitos atenderam ao chamado da instituição nos momentos de maior dificuldade.

As 11.799 bolsas de sangue doadas se dividiram em 11.409 concentrados de hemácias, 8.567 concentrados de plaquetas, 11.361 plasmas e 399 crioprecipitados. O quantitativo é resultado de parcerias com associações, instituições públicas e privadas e da iniciativa de cada um que se fez presente. No ano passado, dos 11.799 voluntários, 64,56% foram homens maiores de 29 anos.

O sangue coletado e seus componentes foi destinado às unidades hospitalares públicas e privadas do Amapá para atender a recém nascidos prematuros das Unidades de Tratamento Intensivo Neonatais (UTIN), a pacientes acidentados das urgências e emergências. Além de pacientes oncológicos e outros tantos com patologias que necessitam de reposição sanguínea.

A diretora do Hemoap, Ruimarisa Martins, disse que o ano passado foi desafiador para todos os hemocentros do país, em decorrência da mudança atribuída pela pandemia causada pelo novo coronavírus, que afastou os voluntários.

"Nossa preocupação constante foi e é manter o estoque de sangue em níveis seguros para garantir o atendimento a quem precisa. 2020 foi um ano difícil, a população estava com medo de sair e se contaminar. Mas tivemos muitas provas de solidariedade ao próximo. E vamos seguir 2021 reforçando nosso trabalho para sensibilizar a população sobre a importância de cada doação na vida de quem precisa", declarou Ruimarisa.

Segurança na hora de doar sangue

Ruimarisa ainda reforçou que desde o início da pandemia, em março de 2020, o Hemoap se preparou para receber os doadores de primeira vez e os regulares de forma segura.

"Reforçamos todas as medidas de higiene e distanciamento para garantir a saúde de todos, inclusive dos nossos profissionais", disse a diretora.

Critérios para soar sangue

Para doar é preciso ter boa saúde, estar entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg e não ter ingerido álcool nas últimas 12 horas. Mulheres em fase de amamentação só devem doar sangue após o bebê completar um ano de vida. Já as mulheres que, por alguma razão, não estejam amamentando e tiveram bebê recentemente, podem doar nas seguintes condições: após seis meses, no caso de partos cesárea, e três meses para partos normais.

Voluntários com sinais de gripe ou resfriado devem realizar a doação 14 dias após o desaparecimento dos sintomas. Se viajou para outro estado, estarão aptos a doar depois de um mês da data de chegada. Quem teve covid-19 só poderá doar sangue 30 dias após o desaparecimento de todos os sintomas.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá