segunda, 12 de novembro de 2018 - 13:08h - 857
Profissionais de saúde do Amapá vão prescrever fitoterápicos na rede estadual
Mais de 80 especialistas estão sendo capacitados para prescrever remédios da medicina natural pelo Sistema Único de Saúde.
Por: Jamylle Nogueira
Foto: André Rodrigues/Sesa
Etapa presencial da capacitação encerrou nesta segunda-feira, 12, no Cerpis, em Macapá

O Centro de Referência em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (Cerpis) encerrou nesta segunda, 12, a etapa presencial do curso de Qualificação em Plantas Medicinais e Fitoterápicos na Atenção Básica. A capacitação se iniciou em setembro e, durante esse período, 90% dos módulos foram ministrados à distância pelo método de Ensino EAD adotado pela Escola de Saúde Pública do Amapá (ESP). A capacitação se encerra em dezembro com o módulo de prescrição de fitoterápicos.

O curso está sendo ofertado para todos os municípios do estado e conta com a participação de 84 profissionais, entre médicos, farmacêuticos, fisioterapeutas, enfermeiros, biomédicos, assistentes sociais, nutricionistas, odontólogos, psicólogos e fonoaudiólogos.

Medicina alternativa

O objetivo do curso é fortalecer o uso das plantas medicinais e fitoterápicos no Sistema Único de Saúde (SUS), através de técnicas e emprego adequado das plantas na saúde pública. Após esse processo de aprendizagem, a equipe multiprofissional estará habilitada para participar do próximo módulo, que será a prescrição de medicamentos fitoterápicos no SUS, de acordo com as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde (MS). 

O diretor do Cerpis, Elziwaldo Monteiro, frisou que essa capacitação representa um avanço na rede pública de saúde. Ele justifica que, além de ser um resgate da sabedoria popular, permite que esses profissionais abram a mente para a medicina alternativa, que vai além da alopática (medicina tradicional).

"Essa prescrição já está estabelecida pelo Ministério da Saúde, mas para que possamos expandi-la, precisamos capacitar nossos profissionais. Após isso, o próximo passo é iniciar a distribuição de alguns medicamentos pela rede pública, através das políticas que serão implantadas pelo projeto estadual Farmácia Viva", ressalta Monteiro.

O farmacêutico do município de Tartarugualzinho, José Mendes, um dos participantes da capacitação, observou que a biodiversidade do Amapá é muito grande, o que contribui pra a expansão da medicina natural. “Além de ser algo cultural, também tem sua base científica. Estou muito grato em fazer parte desse curso e espero adquirir mais conhecimentos com o próximo módulo, pois sabemos os grandes benefícios que essa medicina trás para a população amapaense", identificou o farmacêutico.

As atividades somam o total de 100 horas aulas. Todos os participantes receberão certificado. Essa iniciativa faz parte do cronograma de capacitações do Governo do Amapá, através de medidas adotadas pela Escola de Saúde Pública, responsável pela educação permanente em saúde no Amapá.

Fitoterápicos

Os fitoterápicos que estarão disponíveis no SUS do Amapá, estão sendo fabricados e manipulados pelo Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (Iepa), com quem a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) e a Universidade Federal do Amapá (Unifap), assinaram o Termo de Cooperação Técnica e Científica, em março deste ano.

A implantação vem para ampliar as opções terapêuticas na recuperação e manutenção da saúde dos amapaenses. O novo meio de tratamento será ofertado no Cerpis, com a disposição de medicamentos fitoterápicos, tendo como matéria-prima, plantas da região amazônica.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá