segunda, 10 de junho de 2019 - 21:10h - 1016
Amapá e Guiana Francesa trocam experiências na área de segurança pública
O Projeto de Qualificação das Polícias do Brasil, promovido pela Embaixada da França, reforça a integração entre as forças policiais para a resolução de crimes.
Por: Henrique Borges .Colaboradores: Hilda Gualberto
Foto: Rodrigo Kleinlein/Polícia Civil
Policiais civis e integrantes da Polícia Militar e Politec participam do curso, que encerra na próxima sexta-feira, 14

Teve início na manhã desta segunda-feira, 10, na Academia Integrada de Formação e Aperfeiçoamento (Aifa), o “Curso de Investigação de Homicídio: Local de Crime”, promovido pela Embaixada da França e pela Polícia Civil do Amapá, por meio do Projeto de Qualificação das Polícias do Brasil. Cerca de 30 policiais civis, militares, federais e peritos da Polícia Técnico-Científica (Politec) participam do treinamento especializado em investigações de feminicídios e homicídios.

A capacitação, que acontece no período de 10 a 14 de junho, é fruto de tratativas que vêm acontecendo desde o ano passado entre o Governo do Amapá e a Embaixada da França no Brasil, que orientou acerca dos critérios de escolha dos participantes e disponibilizou os professores sem custo para o Estado.

O curso foi destinado à Polícia Civil do Amapá devido a cooperação com a Embaixada Francesa e pela localização estratégica de fronteira do município de Oiapoque com a Guiana Francesa. O delegado-geral de Polícia Civil, Uberlândio Gomes, ressalta que as tratativas com a embaixada vêm sendo trabalhadas desde 2018 e que a integração das forças de segurança pública do Amapá e da Guiana Francesa são importantes para o aumento na taxa de resolução de homicídios e feminicídios.

“Estamos aqui para a troca de conhecimento e com isso colocar em prática as técnicas de investigações dos crimes de forma integrada. As forças de segurança pública do Amapá estão de braços abertos para absorver as informações e compartilhar o conhecimento e as experiências adquiridas sobre a forma como os crimes estão acontecendo em nosso Estado”, afirmou Gomes.

Com carga horária de 30 horas/aula, o curso é ministrado por dois instrutores da França, o investigador Cyrille Barbaglia e a perita Clar de Almeida, e conta com o auxílio de tradutor intérprete, o agente da Polícia Federal, André Moraes. O adido representante da Embaixada Francesa no Brasil, Serge Giordano, reforçou que a intenção é de manter o projeto por vários anos, possibilitando maior proximidade entre a segurança pública dos dois países.

“O curso escolhido tem a vantagem de trabalhar as três forças juntas, Politec, Civil e Militar. A ideia é de continuar desenvolvendo cursos com todas as forças de segurança pública, uma parceria de longo tempo para melhorar as técnicas de investigação e combate ao crime de forma integrada. As leis francesas e maneira de trabalhar são bem diferentes, mas o mais importante disso é poder mostrar pontos importantes na integração das forças para o aumento na taxa de resolução dos crimes”, disse Giordano.

Além de policiais civis, também participam do curso alguns convidados de forças coirmãs, como policiais militares, peritos, papiloscopistas e datiloscopistas da Politec. Entre as autoridades presentes estavam o comandante-geral da Polícia Militar do Amapá, coronel Paulo Matias; o cônsul honorário da França em Macapá, Fabien Fournet; o chefe do Departamento de Criminalística da Politec, José Amarildo Magalhães; e a diretora da Aifa, delegada Jacinta Pernambuco.

GALERIA DE FOTOS

Créditos:

Rodrigo Kleinlein/Polícia Civil

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá