sexta, 08 de novembro de 2019 - 17:10h - 486
Febre aftosa: força tarefa vai visitar pequenas propriedades amapaenses
Ações vão acontecer em municípios onde o índice vacinal está abaixo do esperado pela Diagro.
Por: Ailton Leite
Foto: Marcelo Loureiro/Secom
Animais devem ser imunizados até 15 de novembro

Uma força tarefa criada pela Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Amapá (Diagro), com o apoio da Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Amapá (SFA/AP), vai intensificar as ações de vacinação de bovinos e bubalinos no estado. A programação começa na próxima semana, e deve focar em pequenos produtores amapaenses.

De acordo com o diretor-presidente da Diagro, Alvaro Cavalcante, a força tarefa deve atuar nos municípios onde o índice de vacinação está menor do que o esperado. Ele informou que as ações devem acontecer em Oiapoque, Calçoene, Amapá, Pracuúba, Laranjal do Jari e Vitória do Jari.

“O objetivo dessa ação de vacinação que será assistida, é ir às pequenas propriedades, onde ainda não houve a imunização dos animais, ou, se houve, ainda não foi declarado. Queremos evitar que deixem de realizar este procedimento, que é importante para que o estado continue com o status de livre de aftosa com vacinação”, explicou o diretor.

O objetivo, segundo a Diagro, é trazer este pequeno produtor para regularidade, para que ele possa fazer a movimentação, comprar e vender animais, o que somente pode ser feito se o produtor declarar a vacinação.

Quanto aos grandes produtores, segundo a Diagro, a maioria segue realizando a vacinação, e alguns já declararam. Segundo o órgão, em determinados casos específicos, em que a parte do rebanho fica em área alagada, o produtor costuma esperar o período de seca, para poder realizar todo o procedimento.

“Geralmente, o produtor aguarda secar o pasto, para recolher os animais e realizar o procedimento. Normalmente, além da vacinação, são feitos outros procedimentos, como, por exemplo, a contagem do rebanho. Mas, todos os grandes produtores vacinam e declaram dentro do prazo”, reforçou o diretor.

Ele ressalta que a vacinação é importante para que o estado continue dentro da certificação, além do que, sem a declaração, o produtor fica impossibilitado de movimentar animais, já que para isso, precisa da Guia de Trânsito Animal (GTA), que somente é liberada com a apresentação da declaração de vacinação do animal.

A imunização acontece de 15 de setembro a 15 de novembro. Produtores terão até 25 de novembro para declarar a vacinação de seus rebanhos, sob risco de sanções.

As multas são de R$ 40,50, por animal, para quem deixar de vacinar o rebanho, e R$ 67,50, por animal, para quem deixar de declarar a vacinação até o prazo.

O Amapá possui, atualmente, o segundo maior rebanho bubalino do país, com 291.303 cabeças, e 53.605 cabeças de bovinos, distribuídos em 1.944 propriedades ativas no estado.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá