sexta, 08 de janeiro de 2021 - 15:27h - 650
Banco de Leite distribuiu mais de 500 litros de leite humano em 2020
Doações ajudaram a salvar as vidas de centenas de recém-nascidos que precisaram ficar internados nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatal no Amapá.
Por: Claudia Cavalcanti
Foto: André Rodrigues/Sesa
O leite materno é a melhor fonte de alimentos e nutrientes para os recém-nascidos e contribui para o fortalecimento do sistema imunológico e no combate a infecções.

Em 2020 o Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital da Mulher Mãe Luzia (HMML), distribuiu 578 litros de leite que ajudaram a salvar as vidas de centenas de recém-nascidos que precisaram ficar internados nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatal (UTINeo) no Amapá.

Além de ser a melhor fonte de alimentos e nutrientes para os recém-nascidos, o leite materno contribui para o fortalecimento do sistema imunológico e no combate a infecções, ajudando na diminuição do tempo de internação nos casos de bebês prematuros ou com outras complicações.

Apesar do número expressivo, em 2020 houve uma queda de 23% em relação a 2019, quando foram pasteurizados e distribuídos pelo BLH 755 litros de leite humano, a queda se deve principalmente à pandemia causada pelo novo coronavírus.

Manter o estoque só foi possível graças à generosidade das doadoras e a dedicação da equipe do BLH, que reforçou a importância da doação através de campanhas de conscientização para manter o estoque em nível seguro e garantir o alimento para os bebês.

A coordenadora do Banco de Leite, a enfermeira Darcineyde Dias, explica que muitas mães pararam de doar e possíveis novas doadoras não manifestaram interesse devido ao receio do contato com a equipe ou de ir até a unidade. Para contornar o problema foram feitos vídeos tutoriais explicando como fazer a retirada e armazenamento do leite para minimizar o contato entre as doadoras e a equipe de captação que busca os vidros com leite nas residências.

“Não precisa ter um volume alto de excedente de leite, coletando um pouco todos os dias durante uma semana já ajuda com uma quantidade razoável. Temos um número muito rotativo de voluntárias que doam só uma vez ou durante meses com algumas chegando até há 1 ano mas o importante é que elas saibam que qualquer doação é muito importante pra gente”, reforça.

 

Como ser doadora

Para tornar-se uma doadora de leite ou receber orientações sobre amamentação, a interessada por ir até o Banco de Leite Humano, que funciona 24 horas, na esquina da Av. FAB com a Rua Jovino Dinoá, no bairro Central.  

Outro meio de ajudar é através do número (96) 98115-9018, que também é WhatsApp. Os servidores podem atender a domicílio, conforme a situação.

A doadora precisa ter em mãos o cartão de pré-natal. Caso seja necessário, testes rápidos poderão ser refeitos. Ao ser aprovada, ela faz um cadastro e recebe orientações sobre assepsia da mama e cuidados com o armazenamento do leite.

Com as informações repassadas, a doadora pode tirar o próprio leite e entregar os recipientes no Banco de Leite ou requisitar que a equipe de captação busque o produto na residência.

Caso a doadora seja um caso suspeito ou confirmado de covid-19, é necessário aguardar o desaparecimento completo dos sintomas e requisitar liberação médica para retornar as doações.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá