quinta, 01 de agosto de 2019 - 17:40h - 1352
Píer reduzirá tempo de atendimentos das ocorrências fluviais
Planejado inicialmente para o Corpo de Bombeiros, projeto foi expandido para atender toda a Segurança Pública. Construção já foi autorizada pelo Executivo.
Por: Anne Santos
Foto: Sejusp
Com o píer em Fazendinha, embarcações ficarão na água 24h, prontas para entrar em operação

O tempo resposta para atendimento das ocorrências fluviais será menor com a construção do Píer Integrado da Segurança Pública - uma das 15 obras com ordem de serviço autorizada pelo Governo do Estado do Amapá (GEA) -, de acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Amapá (CBM/AP). Com investimento de R$ 2.350.435,08 da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e contrapartida de R$ 47.723,35 do GEA, o cais ficará no distrito de Fazendinha, em Macapá.

Com capacidade para dez embarcações de pequeno e médio porte, o píer terá 172,43 metros de comprimento a partir da margem, área de manobra, rampa e uma balsa flutuante. A estrutura é especializada para atendimento à população ribeirinha e ocorrências fluviais envolvendo naufrágio, afogamento e busca em área de selva, em toda a região banhada pelo Rio Amazonas e seus afluentes.

De acordo com o CBM/AP, responsável pelo projeto da obra, atualmente em casos de naufrágio no Rio Amazonas, o tempo necessário para chegar até a ocorrência é de, no mínimo 1h, pois as embarcações ficam no quartel de Fazendinha e precisam ser acopladas a uma viatura para serem transportadas até o rio. Com o píer em funcionamento, as lanchas ficarão na água 24h, pois estarão ancoradas na lateral da balsa.

“Esse píer, além de reduzir o nosso tempo resposta, também dará suporte aos outros órgãos de segurança, melhorando o atendimento à população amapaense”, afirmou o major Sandro Sanches, coordenador de projetos da corporação. espaço foi projetado inicialmente para atender ao Corpo de Bombeiros, mas foi expandido para todo o setor da Segurança Pública, com o objetivo de auxiliar operações e combate aos crimes náuticos como os chamados ataques de ratos d’água (criminosos que atacam embarcações).

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá